Imprimir esta página

Ministra da Ciência e Tecnologia da África do Sul visita Portugal

Naledi Pandor

Naledi Pandor, Ministra da Ciência e Tecnologia da África do Sul

Ministra Naledi Pandor explora fortalecimento da colaboração em ciência e tecnologia entre a África do Sul e Portugal

A Ministra da Ciência e Tecnologia da África do Sul, Sra. Naledi Mandisa Pandor visitou Portugal no mês de Dezembro de 2014 para discutir os planos e oportunidades visando reforçar a colaboração entre a República da África do Sul (RAS) e Portugal na área de ciência, tecnologia e inovação.
Refletindo sobre a visita da ministra, José Caldeira, Presidente da Agência Nacional de Inovação (ANI), em Portugal, afirmou que “Naledi Pandor manifestou interesse em estreitar os laços de parceria em ciência, tecnologia e inovação com Portugal, promovendo a cooperação da África do Sul de Portugal e nas plataformas África-Europa”. Durante a reunião, Big Data, Energia e Formação avançada de Recursos Humanos com reforço da inovação foram identificadas como áreas em que Portugal e África do Sul têm interesses comuns para promover a ciência e bem-estar, confirmou José Caldeira.

Como explicado pelo presidente Caldeira, de particular importância é o facto de “Naledi Pandor ter abordado o potencial da rede Africa Very Long Baseline Interferometry (VLBI) e a participação do Square Kilometre Array (SKA) na promoção de parcerias Europa-África.” Caldeira também afirmou que as reuniões com a Agência de Inovação Português Nacional e a Agência para o Comércio Externo e Investimento de Portugal (AICEP) chegaram a acordo sobre a troca de informações e um roll-out de atividades conjuntas planeadas.
“Para a ANI, o calendário e conteúdo deste encontro foi muito interessante, pois abrangeu vários dos objectivos definidos para o seu novo mandato, ou seja, uma maior interacção entre as universidades e a indústria e entre a investigação e inovação; promover a implementação das maiores cadeias de valor, e, por último mas não menos importante, uma oportunidade para a internacionalização e cooperação global em investigação e inovação”, concluiu José Caldeira.

African European Radio Astronomy Platform

African European Radio Astronomy Platform

Conforme enfatizado por Miguel Seabra, Presidente da Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT), “Portugal e África do Sul têm sido parceiros na cooperação científica há vários frutuosos anos, e assim para a FCT, a agência nacional de financiamento para a investigação, foi uma honra participar na visita da Sra. Ministra Naledi Pandor em Portugal em Dezembro”. Miguel Seabra explicou ainda que visita da ministra Pandor constituiu uma oportunidade para “discutir colaborações atuais e futuras, com o objectivo de reforçar os laços entre os dois países e fomentar os papéis de ambos como gateways para a Europa e África.” O Presidente Seabra também discutiu o projeto SKA com sede na África do Sul, que, segundo ele, “terá um impacto tremendo na pesquisa espacial” e que, mais importante, “Portugal é esperado a juntar-se em breve.”

A infra-estrutura Portuguesa “ENGAGE-SKA”, explicou o Presidente Seabra, que foi “recentemente incluído no novo roteiro Português de infra-estruturas de investigação, já está envolvido no SKA para reforçar a cooperação bilateral e estendê-lo a outras áreas de interesse estratégico e científico comum, a FCT irá trabalhar em conjunto com agências de financiamento do Sul Africano para projetar financiamento conjunto de projetos de pesquisa.”

De acordo com a AICEP, Portugal e África do Sul são parceiros muito próximos com um mundo de potencial para ser cumprido. O comércio bilateral entre Portugal e RAS em 2013 foi de cerca de 270 milhões de Euros, dos quais 160 milhões a partir de Portugal para RAS e perto de 110 milhões de Euros daqui para Portugal. É justo dizer que Portugal e a RAS têm um grande espaço para melhorias, a fim de aumentar as suas relações económicas.

Este potencial pode ser desenvolvido em setores como energia e TIC. Os investimentos nestes setores permitirão a criação de programas para a exploração económica generalizada no vasto mar da sociedade da informação, aumentando o valor económico das infra-estruturas de investigação associadas.

O ENGAGE SKA faz parte do Roteiro Nacional de Infra-estruturas de investigação. Reúne as universidades e a indústria participantes nos Consórcios do SKA, trazendo os conceitos de Tecnologias de Informação Sustentáveis para a Radio-Astronomia. Este é apoiado pelo Governo Português como um plano de radio-astronomia e é liderado pelo Instituto de Telecomunicações, as Universidades de Aveiro, Porto e Évora, e com o Instituto Politécnico de Beja. Conta com a participação de um consórcio industrial, com empresas como a Martifer Solar, a Critical Software, a Visabeira Global, Active Space Technologies, Coriant, PT, LC tech, entre outras PMEs.

ENGAGE SKA é um grande trampolim para a associação portuguesa ao SKA, que irá promover uma maior cooperação entre os cientistas e investigadores europeus e africanos, contribuindo para o desenvolvimento sustentável, com alto impacto socio-económico.

Domingos Barbosa, do Instituto de Telecomunicações em Portugal destacou a importância da iniciativa, afirmando que o “ENGAGE SKA é uma plataforma colectiva promovendo a E-Ciência Sustentável para o SKA, que promoverá a capacitação da excelência científica capacitação, tomando a radio-astronomia como um Laboratório Aberto à Inovação.